Ernesto de Sousa entrevistado sobre o mixed-media “Almada, Um Nome de Gerra”, 1970

“Efectivamente eu não estou a fazer um filme. Foi dada grande projecção à parte musical para que  […] o filme (que não é filme) seja espécie de meditação, de participação do público, sobre os factos referentes ao Almada Negreiros, obra e homem. A projecção histórica não me interessa absolutamente nada. Não fiz documentário, mas uma espécie de retrato do homem, dos seus gestos, do seu olhar extremamente penetrante, da sua forma de estar…”

Ernesto de Sousa, 1970

Advertisements

About Sónia Pina

Investigadora em Filosofia da Comunicação, New-media, Old-media, Ontologias digitais, Fluxus, Visualismo, Info-estética (protocolos visuais da comunicação), Intermedialidades na arte;

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: